O segredo para desenvolver a resiliência e emoções a prova de balas

[Curso] Resiliente: um coração inabalável
Este curso te capacitará com habilidades para o gerenciamento do estresse e fortalecimento das emoções.

Problemas, fracasso e tragédia são palavras desagradáveis de se ouvir. Mas cada uma delas, vez ou outra, vão bater em nossas portas. E para lidar com esses momentos precisamos de resiliência. Ela nos ajuda a enfrentar, superar e crescer com os muitos desafios e exigências que encontramos pelo caminho.

É sobre isso que eu quero falar hoje: o que é e como ter mais resiliência.

Então, nesse artigo, nós vamos refletir sobre:

Se interessou pelo tema?

Então, me acompanha na leitura. Eu quero começar te lembrando de uma história emplemática: a história de Jó.

O que é resiliência? E quem é a pessoa resiliente?resiliencia, resiliência, fracasso, aprendendo com o fracasso, mindset de crescimento, mindset

 

A palavra Resiliência vem do Latim: Resilire, que significa recusar, voltar atrás. É um termo originalmente utilizado na física que se refere a capacidade de um material em suportar grandes e diferentes tipos de pressão – como mudanças bruscas e extremas de temperatura, choques, etc. – permanecendo o mesmo ou se deformando, mas pouco-a-pouco conseguindo se recuperar e voltar à sua forma original.

Ou seja, resiliência é a capacidade de um material de resistir a pressões ou de sofrer deterioração e mesmo assim se refazer e se reconstruir voltando à forma original.

Um exemplo que podemos dar de materiais resilientes são o náilon e a lycra. Isso mesmo, aqueles tecidos característicos das leggins. Eles se esticam mas não rascam. Eles voltam à sua forma original.

A história de Jó

“Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; e era este homem íntegro, reto e temente a Deus e desviava-se do mal.” Jó 1:1

Com certeza você já ouviu a expressão “ter uma paciência de Jó!” Não é? Mas, do que é feita essa paciência tão famosa? E porque Jó teve que ser tão paciente?

A verdade é que Jó se tornou em uma personagem emblemática, não só na cultura judaica-cristã, mas em todo o mundo quando se trata de histórias a respeito do homens bons suportando o sofrimento.

A tradição conta que ele era um homem rico, respeitado, tinha uma família grande e bons amigos. Resumidamente, a vida de Jó era perfeita. E sendo assim tão afortunado Jó era descrito como tendo um caráter “íntegro e temente a Deus”.

Mas um dia Deus resolve atender aos caprichos de Satanás e deixar que a aflição, a perda e a tragédia batessem à porta de Jó.

Tudo porque Satanás tinha a mórbida curiosidade de saber se Jó permaneceria o mesmo homem íntegro, bom e fiel a Deus diante a adversidade e do sofrimento. Satanás queria testar a resiliência de Jó.

Resiliência profissional

E o que é resiliência psicológica e profissional, então?

A resiliência é a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, adaptar-se a mudanças, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas – choque, estresse, etc. – sem entrar em surto psicológico, emocional ou físico, por encontrar soluções estratégicas para enfrentar e superar as adversidades.

Tanto para a vida pessoal como profissional, portanto, resiliência é uma características tremendamente poderosa e útil.

A questão então, não era a paciência de Jó e sim a sua habilidade de suportar a pressão sem perder a essência.

Por isso, ele se tornou uma personagem modelo para se compreender o que é ter uma mentalidade correta diante da adversidade. E a resiliência é uma característica fundamental de um mindset de crescimento.

A força interior de pessoas bem-sucedidas e como elas lidam como os problemasresiliencia, resiliência, fracasso, aprendendo com o fracasso, mindset de crescimento, mindset

Bill Gates disse uma vez que

“É bom comemorar o sucesso, mas é mais importante ter em conta as lições do fracasso.”

E ele não estava falando metaforicamente.

Bill Gates, antes de se tornar um dos homens mais ricos do mundo também já experimentou o gosto amargo do fracasso. Mas como todos os grandes vencedores ele possui uma mindset de crescimento que permitiu que ele compreendesse que o fracasso é uma das formas mais valiosas de feedback que existem.

Feedback significa retroalimentação, ou seja, é o retorno ou a reação de algo ou alguém a um tipo de estímulo. É a informação que um chefe dá a um funcionário sobre sua performance, ou a correção que o professor dá a uma atividade de um aluno.

O fracasso é uma espécie valiosa de feedback porque tem esse poder de expor erros, acertos e promover o aprendizado como poucas outras coisas têm, e para é fundamental para a construção da resiliência.

“Na vida, ou se ganha ou se aprende!”

Michael Jordan disse certa vez:

“Eu perdi mais de 9.000 lançamentos em minha carreira. Eu perdi quase 300 jogos. 26 vezes, meu time precisava que eu marcasse os pontos da vitória no minuto final da partida, mas eu errei. Eu falhei repetidamente, uma e outra vez, na minha vida. E é por isso que eu fui bem-sucedido.”

O que ele quis dizer com isso é que cada erro e cada derrota lhe ensinavam e capacitavam para a vitória. A sua segurança e autoimagem não eram abaladas pela derrota e pelos erros.

Na visão de gente como Michael Jordan e Bill Gates o fracasso é apenas uma das consequências possíveis de uma ação. E a própria tentativa tem muito valor, não só o sucesso. Assim, o fracasso não define a identidade de alguém que sofreu uma derrota.

E você?

Pare um pouco e pense como você lida com as adversidades da vida. Você é alguém que consegue aprender com o fracasso e com as decepções? Você tem autoconhecimento suficiente para reconhecer a fraqueza? Você recebe bem o feedback das pessoas ao seu redor?

Fracasso é apenas uma consequência de uma ação que alguém tomou… Alguém que se expôs, que tentou. NÃO é uma definição do seu caráter! Fracasso é um status provisório.

Fracasso: um degrau importante para o desenvolvimento pessoalresiliencia, resiliência, fracasso, aprendendo com o fracasso, mindset de crescimento, mindset

Mas será que a resiliência é uma característica que podemos desenvolver ou já nascemos com ela?

Vamos pensar sobre os bebês que estão aprendendo a andar… Quedas e choques são inevitáveis nessa fase da vida, não é mesmo? E consequentemente uma crise de choro aqui e ali.

Mas após a queda o que a criança faz? Desiste de andar ou levanta e tenta novamente? Obviamente, ela levanta e tenta novamente! E quanto mais tenta mais desenvolve suas habilidades motoras.

Assim também devem ser com nossas “quedas”.

Depois da decepção e do fracasso um período de luto e depois… de volta para ação. Esse é o ciclo natural da vida.

Por isso, o suicídio é uma anomalia.

Você sabia que os únicos seres vivos capazes de cometer suicídio são os seres humanos? Pois é! O instinto da vida é se preservar.

Desistir não faz parte dos planos

Mas é isso que muitos de nós faz.

Talvez não cheguemos ao extremo de acabarmos com nossas próprias vidas, mas desistimos de coisas importantes para nós e para nossa felicidade depois de passarmos por situações de fracasso, ou intensa pressão.

Pessoa com mindset fixa, e com pouca força emocional, depois de uma situação de fracasso passam a evitar o risco e se deixam dominar pelo medo de fracassar novamente.

Seu instinto de preservação assume o controle de suas decisões e sair da zona de conforto se torna impensável.

A psicologia, então, adotou o termo resiliência para determinar a capacidade de uma pessoa funcionar bem ou não sob pressão. Assim, o significado de resiliência é a capacidade que o individuo tem de lidar bem com problemas, contratempos, e fracassos mantendo o equilíbrio emocional.

Se você me pedisse para simplificar um pouco diria que quanto mais resiliente for uma pessoa, mais preparada emocionalmente ela está para encarar as adversidades da vida.

Resiliênxia ≠ Resistência

No entanto, não podemos confundir resiliência com resistência, o que é muito comum já que o conceito remete muito à força que impede você de se fragilizar. Esses são conceitos diferentes.

Quem é resistente consegue “segurar a barra”, encarar o problema e o estresse, mas a pessoa que é resiliente, além de conseguir suportar a pressão, tem a incrível habilidade de aprender com as dificuldades e de contornar a situação encontrando soluções alternativas para resolver os problemas.

O bebê que está aprendendo a andar não apenas aguenta às quedas, ele desenvolve suas habilidades com cada nova tentativa.

Quando a tragédia bateu à porta de Jó, por exemplo, ele ficou devastado. Ele não fugiu do problema ou fingiu que não estava acontecendo nada – comportamento típico de pessoas resistentes.

Ele, na verdade, sentiu profundamente todo o acontecido, mas isso não mudou o seu caráter para pior, ele não se tornou amargo e desistiu da vida.

Ao contrário! Suas convicções se fortaleceram. Ele ampliou seu conhecimento a respeito de si mesmo e a respeito de sua fé em Deus. Porque ele era uma pessoa resiliente.

Exercitando o músculo da resiliênciaresiliencia, resiliência, fracasso, aprendendo com o fracasso, mindset de crescimento, mindset

Mas se você não é uma pessoa naturalmente resiliente, acredite que todos estamos aptos a desenvolver a resiliência e que cada dificuldade enfrentada é uma ponte para aprimorá-la, bastando apenas querer e trabalhar para isso.

O seu desenvolvimento e aprimoramento é um consequente resultado das lições aprendidas com a vida.

Voltando ao exemplo das crianças, sabemos que é muito comum que os pais tentem blindar as crianças das dificuldades e mantê-las o mais longe possível dos problemas. Porém, sem perceber, os pais estão tirando dessas crianças a chance de treinar as suas habilidades de controle emocional e desenvolver sua resiliência.

Com isso, ao crescer, a criança pode ter dificuldade para lidar com os momentos de contratempos de forma construtiva.

Obviamente, essa habilidade pode ser aprendida e desenvolvida em qualquer fase da vida, mas blindar nossos filhos contra tudo talvez não seja a melhor ideia. Uma boa dose de realidade pode ser muito bem-vinda.

Já para nós, adultos, o importante é ter força de vontade de entender como funciona a nossa própria mente e nossas próprias emoções.

Apreciando as derrotas e dificuldadesresiliencia, resiliência, fracasso, aprendendo com o fracasso, mindset de crescimento, mindset

Permanecer emocionalmente estável e não se desesperar diante de uma adversidade não é uma coisa fácil.

Agir corretamente sob pressão e conseguir enxergar o lado positivo de situações totalmente desfavoráveis, conseguindo aprender com os erros cometidos mais difícil ainda.

Mas o primeiro passo para aumentar a sua zona de conforto e sua tolerância à pressão é saber qual é o seu limite. Jó, por exemplo, sabia exatamente quem ele era e sabia precisamente o que conseguia aguentar.

Quando seus amigos começaram a acusá-lo, qual foi o seu comportamento? Ele ignorou as críticas? Não! Ele ouviu todas elas e se autoavaliou, chegando a conclusão de que aquelas eram acusações falsas.

Ele embarcou em uma viagem de autoconhecimento, e de conhecimento de Deus. E ele perseverou em se defender dos seus acusadores.

Porém, a esposa de Jó demonstrou que não tinha a mesma capacidade.

Ao perder os filhos e a condição financeira ela se revoltou com Deus e com o próprio marido.

O que mais me chama atenção da briga de Jó com sua esposa é a simbologia que a posição dos dois revela sobre suas vidas emocionais: Jó estava sentado no chão, com roupas rasgadas e muito enfermo e sua esposa estava de pé e saudável, porém emocionalmente o papel dos dois era exatamente o contrário.

Sem dúvida, Jó também estava muito triste, mas sua esposa não estava apenas mostrando sintomas de tristeza. Ela demonstrava não estar lidando de forma saudável com os fatos e estava em completo desequilíbrio emocional.

Então, por que algumas pessoas conseguem ser resilientes e outras não?resiliencia, resiliência, fracasso, aprendendo com o fracasso, mindset de crescimento, mindset

A resiliência tem muito a ver com o autoconhecimento, autoconfiança, esperança e fé. É uma característica consequente de todas as experiências da sua vida, sejam elas internas (como estrutura psíquica e sua subjetividade) ou externas (problemas financeiros, amorosos, familiares).

No próximo artigo eu quero lhe contar quais os principios regentes de uma personalidade resiliente e como desenvolver mais a sua resiliência. Topa continuar?

Clique aqui para ler o próximo artigo: Aprenda 7 princípios para se tornar mais resiliente

Se você gostou da leitura se inscreva na nossa lista e receba conteúdos exclusivos no seu email.

Aproveite também para me contar nos comentários abaixo, uma experiência que te fortaleceu emocionalmente. Vou adorar ouvir você!

Abraços e muita paz,

Beatriz Rustiguel

P.S.: Se você quer aprender um pouco mais sobre resiliência com uma boa seção de filmes, clique AQUI para ver nossa lista de personagens legendários

[Curso] Resiliente: um coração inabalável
Este curso te capacitará com habilidades para o gerenciamento do estresse e fortalecimento das emoções.
Beatriz Rustiguel da Silva

Beatriz Rustiguel, comunicadora, professora universitária, especialista em Resiliência e Gestão de Estresse pela University of Washington (UWashingtonX), colaboradora do projeto ProLÍDER da Universidade Santa Cecília, colunista no site ‘Eu sem fronteira’, consultora de comunicação para o Banco Interamericano de Desenvolvimento e fundadora do projeto Mentalidade de Crescimento.

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-color: #01b5aa;background-size: cover;background-position: top center;background-attachment: initial;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 250px;}