Matando os mitos a respeito da inteligência e desvendando os gênios que existem na sua equipe

Hoje eu quero falar com você sobre deixar um impacto positivo no mundo e alcançar uma vida de realização através do seu chamado especial, do seu dom. Mas, você precisa saber que na ciência o nome desse “dom especial” é inteligência.

Inteligência não é só aquela grande capacidade para resolver equações matemáticas ou compreender temas complexos. Vai muito mais além.

Na verdade, existem vários tipos de inteligência humana e cada uma serve a um propósito.

Você sabe quais são as suas inteligências mais afloradas? E sabe como elas podem te ajudar a encontrar um caminho para impactar o mundo?

Então, leia o artigo que eu te conto.

As verdades a respeito da inteligência que ninguém ousou te contar

Você se considera uma pessoa inteligente?

Pare um pouco e reflita.

Não sabe? Não tem certeza?

Então tente se lembrar de, pelo menos, uma pessoa em seu círculo de amigos ou conhecidos que você apontaria como alguém inteligente.

Com base nessa reflexão, qual é a sua percepção de inteligência?

A verdade é que pode ser difícil reconhecer inteligência ao nosso redor, não é?

Agora, pense com cuidado… Qual das pessoas a seguir você consideraria como sendo alguém altamente inteligente?

  • Eric Clapton
  • Neymar
  • Oprah Winfrey
  • Machado de Assis
  • Steve Jobs
  • Barack Obama
  • Jesus Cristo
  • Annie Leibovitz
  • Cesar Millan

A verdade é que cada uma dessas pessoas possui um alto nível de inteligência. Sim, até o Neymar!

Neste artigo pretendo te explicar a razão e parar para pensar um pouco sobre isso:

Se interessou pelo tema? Então, me acompanhe na leitura do artigo.

Matando os mitosInteligência, Inteligencia, Inteligências Multiplicas, Teste de QI, Testes de Inteligência, Inteligencias Multiplas, Testes de Inteligencia, Teste de inteligencia, Teste de inteligência

Em uma entrevista para a revista Scientific American, o psicólogo W.Joel Schneider deu uma resposta interessante ao ser perguntado sobre o que é inteligência. Eis sua resposta:

Existe uma diversidade considerável de definições, mas também existe uma considerável sobreposição de características entre as várias definições de inteligência. […] a verdade é que no senso comum, nós usamos a palavra inteligente para descrever pessoas que são capazes de adquirir conhecimento útil e resolver os problemas consequentes usando uma combinação de lógica, intuição, criatividade, experiência e sabedoria.

Viu?

Não existe consenso nem mesmo entre os especialistas sobre o tema.

Mas com certeza você já deve ter ouvido falar no teste de Quociente de Inteligência, o famoso teste de QI, não é?

Sim, estou falando daquele que promete medir a inteligência, ou melhor, a capacidade intelectual dos indivíduos. Esse tão famoso teste, desde sua popularização, sofreu uma grave distorção e se tornou um fantasma que assombra muitos de nós. Afinal, se você obtivesse uma pontuação alta, você seria taxado como gênio e suas chances de sucesso estariam garantidas, mas aqueles que tivessem uma pontuação baixa ou mediana, coitados!

Autores como Daniel Goleman e Howard Gardner, contudo, afirmam que os testes de inteligência não conseguem, de fato, quantificar a inteligência por dois motivos:

  • O foco dos testes é, na maioria das vezes, apenas nas habilidades linguísticas e lógico/matemáticas dos indivíduos;
  • Eles ignoram o fator aprendizagem. Ou seja, o estímulo externo recebido pelo indivíduo ao longo da vida.

Então, perguntas ainda permanecem para muitos de nós: a inteligência é quantificável? Será que é possível determinar se você é mais inteligente do que outra pessoa?

Esse é uma reflexão importante para nossas vidas. Mais importante ainda é saber como a inteligência influencia na qualidade de vida e no potencial de realização das pessoas.

Os 9 tipos de inteligência e a sua importância

Muitos ainda acreditam que a inteligência é algo estático, que ela tem um limite natural e que não há nada que se possa fazer para mudá-la.

Porém, Howard Gardner, professor de Cognição e Educação na Universidade de Harvard e de Neurologia na Universidade de Boston, pesquisou a inteligência humana e lançou, em 1983, a primeira versão de uma teoria que iria abrir novamente as discussões a respeito do tema e abalar a forma como abordamos a aprendizagem: a Teoria das Inteligências Múltiplas.

Em Estruturas da Mente, título do livro de Gardner, o autor apresentou a existência de 7 tipos diferentes de inteligência. Em uma versão revisada de seu livro, apresentou mais dois tipos de inteligência, chegando ao total 9 (por enquanto!).

A teoria das inteligências múltiplas afirma que cada uma das inteligências é gerida por uma parte específica do cérebro e que, portanto, o ser humano saudável apresentaria todas elas em medidas maiores ou menores.

Com base em suas descobertas, ele define inteligência da seguinte forma:

É a capacidade de resolver problemas ou de criar produtos que sejam valorizados dentro de um ou mais cenários culturais.

Então, caro leitor, de acordo com essa teoria, quando vemos figuras como o Neymar, Messi ou Cristiano Ronaldo demonstrando tamanha habilidade corporal, estamos falando de pessoas com um tipo de inteligência bastante desenvolvido: a inteligência corporal.

Eis a descriação dos tipos de inteligência:

  • Inteligência Linguística – Se caracteriza pela grande facilidade em se expressar, seja oralmente ou na escrita. As pessoas que a desenvolvem tendem a ter um gosto aflorado por idiomas e palavras, além de uma altíssima habilidade e sensibilidade para entender pontos de vista alheios. É predominante em linguistas e escritores, poetas.
  • Inteligência Lógico-Matemática – É a capacidade de calcular, quantificar, considerar proposições e hipóteses, e realizar operações matemáticas complexas. É predominante em cientistas, matemáticos e investigadores.
  • Inteligência Corporal – Quem a desenvolve tem a habilidade de exercer sobre o corpo um controle maior que o normal, sendo capaz de executar movimentos complexos com enorme facilidade e muita precisão. É predominante em atletas de alto desempenho, dançarinos, cirurgiões e artesãos.
  • Inteligência Espacial – Inteligência Espacial é a capacidade de pensar em três dimensões. Se destaca pela precisão ao compreender o mundo visualmente, facilidade de criação de imagens mentais, raciocínio espacial, manipulação de imagem, habilidades gráficas e artísticas e uma imaginação ativa. É predominante em marinheiros, jogadores de xadrez, pilotos, escultores, pintores e fotógrafos.
  • Inteligência Musical – A Inteligência Musical é a capacidade de discernir altura, ritmo, timbre e tom. Essa inteligência permite reconhecer, criar, reproduzir, e refletir sobre música. É predominante em compositores, maestros, músicos, vocalista, críticos de música, etc.
  • Inteligência Interpessoal – É a capacidade de compreender e interagir eficazmente com os outros. Trata-se de se comunicar verbal e não verbalmente de forma eficaz, e a capacidade de notar as distinções, a sensibilidade, humores e temperamentos dos outros, e ainda a capacidade de entreter múltiplas perspectivas. É predominante em professores, assistentes sociais, atores e políticos.
  • Inteligência Intrapessoal – Inteligência intrapessoal é a capacidade de compreender a si mesmo e seus pensamentos e sentimentos, e usar esse conhecimento no planejamento e direcionamento da vida. É predominante em psicólogos, líderes religiosos e filósofos.
  • Inteligência Existencial – Sensibilidade e capacidade de abordar questões profundas sobre a existência humana, tais como o sentido da vida, por que morremos, e como chegamos aqui. É predominante em psicólogos, líderes religiosos e filósofos.
  • Inteligência Naturalista – Designa a capacidade humana de discriminar entre os seres vivos (plantas, animais), bem como a sensibilidade para outras características do mundo natural (nuvens, configurações de pedras, etc.). Esta capacidade foi claramente muito valiosa no nosso passado evolutivo como caçadores, coletores e agricultores; É predominante em botânicos, chefs, agricultores, fazendeiros, veterinários, adestradores, etc.

Em grande parte, as pessoas têm apenas um ou dois tipos de inteligência que se destacam diante das outras, por serem mais desenvolvidas.

Raros são os casos em que uma pessoa consegue desenvolver mais que dois tipos de inteligência, assim como são raríssimas as pessoas que não apresentam nenhuma inteligência bem desenvolvida.

Esse é o motivo principal que explica porque você pode ser muito bom com expressões artísticas e ter muita dificuldade com raciocínio lógico, por exemplo. E é por isso também que a teoria defende que é quase impossível determinar se uma pessoa é mais inteligente do que a outra.

Em algumas pessoas as inteligências mais afloradas são bem claras e evidentes, para outras nem tanto.

É claro que essa teoria não é uma unanimidade. Quando se trata de estudos sobre o funcionamento do cérebro, são poucas as certezas.

E os testes de QI ainda tem o seu lugar, porém, o psicólogo Ian J. Deary comenta que:

Ninguém duvida de que eles não avaliam todos os aspectos importantes das funções mentais – não medem a criatividade ou a sabedoria, por exemplo. Mas o ponto é que isso não é o mesmo que afirmar que eles não servem para nada”

Polêmicas à parte, a verdade é que uma visão da inteligência como sendo algo fixo pode prejudicar muito o desenvolvimento de uma pessoa.

A quantificação e tipificação da inteligência e a criação de estereótiposInteligência, Inteligencia, Inteligências Multiplicas, Teste de QI, Testes de Inteligência, Inteligencias Multiplas, Testes de Inteligencia, Teste de inteligencia, Teste de inteligência

Bom, já deu para perceber que é realmente complicado medir algo tão subjetivo como a inteligência, principalmente fazer uma representação numérica que determine as suas habilidades intelectuais.

Além disso, essa quantificação não é benéfica por duas outras razões:

  • Pode gerar um conforto absoluto na própria capacidade intelectual e promover uma personalidade que evita o esforço e a dedicação a todo custo;
  • Diante da falta de compreensão ou qualquer outra dificuldade, a pessoa pode pensar que é “burra”, “inepta”, podendo, simplesmente, desistir do processo de aprendizagem.

Além disso, a suposição de inteligência também é muitas vezes utilizada como elemento de seleção e hierarquização dos indivíduos e até de sociedades inteiras.

A famosa habilidade matemática dos orientais, por exemplo, é elevada ao status de referência e de identidade. E aqueles indivíduos pertencentes à essas sociedades que não atendem às exigências desse estereótipo são estigmatizados pela própria família, por professores, colegas e pela própria cultura.

Lembre-se que essa é uma das características mais fortes da mentalidade fixa: a concepção de que inteligência é algo de difícil desenvolvimento.

Consequentemente, muitos alunos em sociedades orientais sofrem severas dificuldades em lidar com um nível de inteligência matemática comum ou abaixo da média.

O mesmo acontece com a compreensão da inteligência em relação aos gêneros.

Muitos cientistas acreditam que o funcionamento cerebral de homens e mulheres não é igual. E, mesmo que já existam estudos que dizem o contrário, os estereótipos de que mulheres não são boas para matemática e lógica, ou para atividades relacionadas a inteligência espacial, como dirigir, se espalharam.

Mas, não podemos permitir a criação de uma mentalidade negativa que impeçam nossas meninas de desenvolver habilidades nessas áreas e serem grandes cientistas, motoristas, matemáticas, etc.

Quebrar estereótipos, portanto, é fundamental para o bom desenvolvimento pessoal.

Resumidamente, devemos deixar de pensar na inteligência como algo nato. E também devemos deixar de discutir sobre quantidade e começar a pensar em tipos de inteligência.

Lembre-se, o cérebro e a inteligência são como músculos que podem ser desenvolvidos com exercícios.

Sua avó que tem dificuldade para mexer em um iPhone não é menos inteligente que você. Pode ser que ela apenas esteja com a inteligência destreinada ou que tenha um tipo de inteligência diferente da sua mas em determinadas circunstâncias ela pode perfeitamente aprender.

Desenvolvendo a sua genialidade através do esforçoInteligência, Inteligencia, Inteligências Multiplicas, Teste de QI, Testes de Inteligência, Inteligencias Multiplas, Testes de Inteligencia, Teste de inteligencia, Teste de inteligência

Neste texto eu citei pessoas que estão no topo da cadeia intelectual. Pessoas que estão na lista dos “melhores” em seus respectivos campos de atuação.

Então, naturalmente você deve estar se perguntando: a inteligência é determinante para o sucesso?

Eis a pergunta que não quer calar.

A resposta é sim e não.

Calma que eu explico!

Sim, porque esses indivíduos citados se beneficiaram de um talento acima da média na área que decidiram atuar.

Podemos, inclusive, questionar se suas decisões de atuarem em determinada área foram influenciadas, justamente, pelos tipos específicos de inteligência mais afloradas em cada um, o que eu acredito ser uma dedução razoável.

Porém, a inteligência por si só não bastou para que eles chegassem ao topo. Acredite que cada um deles devotou grande quantidade de esforço e suor – e talvez até lágrimas – para lograrem o que lograram.

Então, você quer fazer a diferença na sua área de atuação? Descubra qual é o seu chamado? Quais são as suas maiores habilidades e invista nelas. O planejamento profissional baseado em suas forças e fraquezas, aptidões e inaptidões é  uma prática fundamental para quem quer alcançar sucesso em sua carreira.

Você sabe quais são as suas?

Se você não conseguiu se identificar, pense nas suas virtudes mais predominantes: qual tipo de problema que você é capaz de resolver com mais facilidade?

Concentre-se nas suas habilidades para identificar qual faceta da sua inteligência é mais desenvolvida.

Você pode realizar coisas extraordinárias. Mas, não se esqueça do esforço!

Dedicação, tempo, esforço e trabalho. A maestria de qualquer coisa demanda esses elementos. É sempre mais importante saber fazer perguntas certas e se dedicar ao crescimento contínuo do que ter todas as respostas .

E você também pode desenvolver outras inteligências além das dominantes, como a sua inteligência musical, por exemplo. Ou aprender a desenhar, escrever, dançar, jogar vôlei, aprender uma nova língua…

Você, talvez, não vai se tornar um prodígio nessas habilidades, porém, não deixe que isso te detenha. Existe tempo e espaço para a evolução!

Eu acredito que você é uma terra fértil criada para dar frutos. E quem planta, colhe.

Então, mãos à obra!!

3 dicas para turbinar seu cérebro

Agora, eu quero apresentar algumas técnicas para turbinar o seu cérebro.

1. Medite

Como cristã, eu sempre tive grande resistência à ideia de meditar. Primeiro, pelas raízes da meditação serem relacionadas às práticas espirituais diferentes das minhas, e segundo porque a ideia de “mente vazia”, simplesmente, me parecia impossível. Mas, recentemente eu conheci um tipo de meditação chamada mindfulness.

Esse tipo de meditação, ao contrário da meditação tradicional, envolve colocar toda a atenção no momento presente. Portanto, é a busca de estar plenamente presente e focado. Eu tenho sentido os efeitos positivos de tal prática.

A verdade é que está cientificamente comprovado que a meditação reduz o estresse e promove a regeneração de partes do cérebro afetadas pelo estresse. Ela ainda rejuvenesce e preserva as capacidades do cérebro intactas, inclusive, as amplifica.

Então, comece a meditar. 5 minutos por dia já ajuda. Clique no link acima para aprender mais sobre como começar a meditar e seus benefícios.

2. Corra

Isso mesmo, corra! Atividades físicas cardiovasculares, especialmente a corrida, promovem a criação natural de novos neurônios e, portanto, melhoram a capacidade cognitiva dos indivíduos.

3. Divirta-se enquanto aprende! 

Aprenda, aprenda e aprenda… mas, se possível, aprenda enquanto se diverte.

Quando aprendemos, estamos aumentando nossa quantidade de conhecimento, mas também exercitando o nosso cérebro. Jogos e aplicativos que exercitam as capacidades básicas do cérebro podem promover grande diferença se praticados e utilizados de forma consistente no sentido de rejuvenescer o cérebro.

Jogos e aplicativos que exercitam as capacidades básicas do cérebro podem promover grande diferença se praticados e utilizados de forma consistente no sentido de rejuvenescer o cérebro.

Eu uso e indico dois aplicativos: Elevate (para os falantes fluentes da língua inglesa) e o Luminosity (disponível em português).

Sou viciada no Elevate. Acho os jogos super divertidos e ainda desenvolve capacidades linguísticas, matemáticas, o foco, a memória, etc. Gasto 10 minutos por dia com cada um desses apps e ainda me divirto.

Tem algum bom app ou jogo para indicar? Deixe nos comentários abaixo.

4. Mantenha uma atitude de curiosidade

O caminho da expertise em qualquer coisa passa por compreender que sempre existe mais a ser aprendido.

O expert é aquele que reconhece o que ainda não sabe e que busca conhecer e aprender o que lhe falta. Portanto, curiosidade é uma caracteríscia primordial da inteligência.

 

Bom, por enquanto é só. Se quiser receber em primeira mão os nossos conteúdos, se inscreva na nossa lista de email, ok?

Abraços!

 

Conteúdos de referência

Livro – Inteligências Múltiplas ao Redor do Mundo, Howard Gardner

Beatriz Rustiguel da Silva

Beatriz Rustiguel, comunicadora, professora universitária, especialista em Resiliência e Gestão de Estresse pela University of Washington (UWashingtonX), colaboradora do projeto ProLÍDER da Universidade Santa Cecília, colunista no site ‘Eu sem fronteira’, consultora de comunicação para o Banco Interamericano de Desenvolvimento e fundadora do projeto Mentalidade de Crescimento.

  • Marilia

    Já virei fã do blog. Mais um texto de grande qualidade. Obrigada!

    • Beatriz – Mentalidade de Cresc

      Que legal, Marilia! ???? Obrigada pelo comentário.
      Abraços!

  • Felippe Santos

    Beatriz, Eu utilizo outros aplicativos além dos citados por você…

    Os nomes são: Peak e NeuroNation, ambos disponíveis na Play Store.

    Tenho acompanhado o site há pouco tempo e gostei da forma com que organiza as ideias e esclarece ao público. Parabéns!!

    • Beatriz – Mentalidade de Cresc

      Felippe, que bacana. Vou dar uma olhadinha nos apps que você indicou.
      Que bom que você gostou. Fico contente em poder abordar esses temas que gosto tanto.
      Obrigada pelo seu comentário. Abraços!

  • Que artigo incrível, Beatriz!
    Um abração. 😀

    • Beatriz – Mentalidade de Cresc

      Áquila, muito obrigada!

      São palavras como estas que nos encorajam a ser melhores a cada dia.

      Abração!! 🙏

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-color: #01b5aa;background-size: cover;background-position: top center;background-attachment: initial;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 250px;}