O poder transformador da gratidão: mente saudável e coração feliz

Diário de Gratidão
Baixe o diário e comece a cultivar o hábito da gratidão agora mesmo.

A busca pela felicidade é obrigatória. Ser feliz é o maior desejo humano. Nós queremos e somos programados para buscar a felicidade, desfrutá-la e querer sempre mais dela. Mas será que nós temos buscado corretamente? Bom, nós certamente tentamos! E o cultivo da gratidão pode ser uma arma importante nessa busca.

Mas atualmente a depressão é a maior causa de invalidez em todo o mundo e 1 em cada 13 pessoas sofre de ansiedade, segundo dados da Organização Mundial da Saúde. O número de pessoas com depressão e ansiedade só cresce, mesmo com a melhoria geral da qualidade de vida no mundo.

De acordo com estimativas publicadas pela Organização Mundial de Saúde¹, em fevereiro de 2017, o número de pessoas que vivem com depressão aumentou mais de 18% entre 2005 e 2015.

Qual a razão disso?

Bom, eu acredito que muitos de nós tem confundido a busca por satisfação, prazer e sucesso com a felicidade.

Nesse texto, então, eu te convido a refletir comigo, mais uma vez, sobre a importância da nossa disposição mental, ou seja, a nossa mindset, em relação ao sucesso e sua importância no alcance de uma vida mais plena e mais feliz.

Se você é gestor e/ou líder de equipe, eu te aconselho a continuar a leitura com muita atenção porque garantir que as pessoas que você lidera sejam felizes pode influenciar e muito na sobrevivência do seu negócio.

Então, eis o que nós vamos ver nesse texto:

Vamos para leitura?

Em busca da felicidade: a grande jornada humana

Se você anda lendo algum material de autodesenvolvimento ultimamente você tem se deparado muito com materiais devotados e com o foco quase exclusivo na questão do desempenho e do sucesso, não é mesmo?

O sucesso e o prazer são apresentados quase como sinônimos de felicidade. Em alguns casos, eu acho que muitos de nós estamos fazemos uma substituição consciente desses elementos pela felicidade, já que, ela pode ser tão difícil de se alcançar.

Sabemos que felicidade é um conceito muito subjetivo e uma palavra muito vaga para ter uma definição concreta e consensual. Aqui nenhum dicionário vai poder nos ajudar. Então, eu vou recorrer ao Budismo que diz que a felicidade, ou melhor, “o bem-estar é um sentimento profundo de serenidade e realização, e é um estado que permeia e sustenta todos os estados emocionais positivos”.

Felicidade, portanto, no budismo, não passa de um estado mental? Isso mesmo. A doutrina ainda afirma mais claramente que:

“Tudo o que somos é o resultado do que pensamos. É fundado em nossos pensamentos. É composto de nossos pensamentos. Se alguém fala ou age com um pensamento puro, a felicidade se segue, como uma sombra que nunca se vai.” (Dhammapada 1-2 / Müller & Maguire, 2002.)

Acho muito interessante como dentro da doutrina budista a associação entre controle mental e felicidade fica explicitada e que a felicidade é a consequência de um exercício mental.

Mas e as nossas necessidades, e os fatores externos que nos cercam? Elas não afetam nossa habilidade de sermos felizes?

A verdade é que a nossa felicidade não deveria estar dependente de fatores externos a nós mesmos, mas essa não é realidade da maioria de nós.

Então, como organizações e governos tratam a questão da felicidade? Ela é importânte para o funcionamento de países e empresas?

Sim! A felicidade se tornou um tema de interesse público porque interfere em todas as áreas da vida dos indivíduos – ela influencia na saúde pública, no desempenho da economia, nos níveis de violência e segurança, etc…  Então, sendo um tema tão importante, amplo e de difícil definição, você deve estar pensando que é difícil de ser medido e promovido em grande escala, não é?

E você tem razão, porém, a comunidade internacional, incluindo a Organização das Nações Unidas, declarou que os governos devem investir na mediação e acompanhamento do nível de felicidade de suas populações. E eu ouso dizer que as empresas e organizações também deveriam.

Definindo e medindo o seu nível de felicidade: exercício possível e útil

Gratidão, Diário de Gratidão, Download Diário de Gratidão, Baixe Diário de Gratidão, Campanha 30 dias para ser mais grato, Cultivando a gratidão, atitude de gratidão, sucesso, prazer, necessidades, teoria das necessidades de maslow, países mais felizes do mundo
[Infográfico] 10 países mais felizes do mundo, 2017.
Vários grupos resolveram abraçar o desafio de medir a felicidade dos povos e hoje nós contamos com dois projetos renomados que se propõem e, de fato, medem a felicidade dos países do mundo anualmente.

São eles: o Relatório de Felicidade Mundial e o Índice Planeta Feliz, no qual o Brasil está posicionado na 22ª e 23ª posição, respectivamente.

O Relatório de Felicidade Mundial (World Happiness Report 2017) classifica 155 países por seus níveis de felicidade e tem o reconhecimento global dos governos, organizações e sociedade civil que o utilizam para auxiliar na suas tomadas de decisão sobre políticas públicas. Ele utiliza 6 variáveis principais e 2 acessórias para fazer a medição no nível de felicidade dos povos.

Já o Índice Planeta Feliz (Happy Planet Index) mede 4 variáveis.

Em ambos estudos, são considerados aspectos básicos, como saúde e renda, bem como são considerados aspectos subjetivos, como nível de generosidade, relacionamentos sociais e sensação de bem-estar na definição de felicidade.

Outro elemento que chama a atenção é que ambos consideram a opinião da população sobre sua felicidade e bem-estar na sua medição. Portanto, é um conceito que envolve muitos fatores.

Se você fosse parar pra pensar sobre cada uma dessas variáveis, como estaria o seu nível de felicidade pessoal hoje?

Vamos lá! Eu te encorajo a refletir seriamente sobre isso durante alguns minutos.

E aí? Conseguiu identificar áreas que precisam de melhoria?

Então, vamos continuar a leitura e falar sobre um elemento que pode te ajudar a melhorar seu nível pessoal de felicidade.

Felicidade duradoura e consistente é gerada de dentro para fora

É fato que a felicidade tem uma lógica muito similar ao sucesso.  O sucesso, como você já deve saber muito bem, não tem a ver apenas com aspectos objetivos como talento natural de alguém e as condições socioeconômicas e culturais em que a pessoa se encontra, e sim tem a ver como enxergamos a realidade em que vivemos, como lidamos com o fracasso, como entendemos o esforço e nossa ética profissional, como lidamos com os desafios e gerenciamos nossas emoções.

Ou seja, sucesso e realização, conforme vimos acima, é um jogo mental.

Tudo é possível e alcançável. Não existem metas impossíveis. Porém, tudo tem um preço.

Portanto, as conquistas vão depender do preço que estamos dispostos a pagar pelo o que queremos alcançar. A matemática é simples: compreensão, decisão e ação.

  • Precisamos da compreensão de qual é o nosso verdadeiro objetivo e o que vamos precisar fazer para alcançá-lo;
  • Precisamos tomar a decisão de fazer o esforço e investir os outros recursos que serão necessários naquele propósito;
  • Precisamos alinhar a nossa mente com a condição que desejamos alcançar;
  • E por fim, precisamos agir de maneira planejada e focada para o alcance do que foi proposto.

Não há segredo.

E a felicidade também funciona nessa lógica!

É um jogo mental e tem um preço a ser pago. E o preço é o que você está disposto a fazer para gerenciar a sua mente e as suas emoções.

Para sermos felizes precisamos atender uma série de necessidades básicas, elas somente não são suficientes porque são muitas vezes circunstanciais, incontrolável, frágeis, passageiras e superficiais.

O que nos resta então é promover um senso de felicidade e bem-estar administrando nossas necessidades internas por sentido, completude e equilíbrio.

E uma prática fundamental para se alcançar esse estado é o cultivo da gratidão.

Gratidão: elemento chave da vida feliz e bem-sucedida

Um dos grandes pilares de alguém que tem uma mente forte é saber lidar com o sucesso, com o fracasso e ter uma atitude de gratidão em relação à vida.

É comum que a gente tenha uma visão muito limitada a respeito da gratidão, pois compreendemos que a gratidão está ligada de forma direta às circunstâncias à nossa volta. Contudo, devemos deixar essa ideia de lado se desejamos cultivar o verdadeiro espírito da gratidão.

Aquele que tem o dom de ser grato consegue olhar com bons olhos e encontrar elementos positivos em todas as circunstâncias – sejam elas boas ou ruins.

Sabemos que manter uma atitude positiva em momentos de necessidade, escassez e extrema dificuldade não é tarefa fácil. Requer controle e equilíbrio emocional, além de uma grande dose de resiliência.

Lidar com o fracasso e com a dor da decepção, seja pessoal ou profissionalmente, requer maturidade. Ser capacitado com um olhar positivo a respeito das coisas pode ajudar nesse processo.

Além disso, a atitude de gratidão e de otimismo também podem potencializar ainda mais os momentos bons que passamos na vida.

Pesquisas comprovam que quanto mais grato, mais feliz é um povo. Ter uma atitude de gratidão é, portanto, uma escolha consciente pela felicidade.

Como anda o seu nível de gratidão neste momento?

Significado de gratidão

Se antes o ato de agradecer estava restrito aos contextos religiosos esse já não é o caso, já que agora virou tema recorrente nas redes sociais, nos artigos e livros de autoajuda e no discursos de coaches e líderes renomados.

O tema veio à tona com força nos últimos anos dado à influência de culturas orientais, como os ensinamentos do budismo que eu citei anteriormente. Ficou claro que a associação da gratidão com a felicidade também surgiu daí. O famoso guru indiano Osho afirma que “a infelicidade é impossível com a gratidão”.

Assim, a gratidão é o cultivo da felicidade.

E o verdadeiro espírito da gratidão não deve estar relacionado ao que acontece em nosso redor. Gratidão é mais que um sentimento, é uma atitude.

Porque a gratidão faz bem

Assim como qualquer outra decisão, podemos decidir ser gratos. Ter gratidão é uma postura que podemos ou não adotar.

Como já dizia o filósofo grego Cícero: “a gratidão não é apenas a maior das virtudes, mas a mãe de todas as outras”. As virtudes podem e devem ser cultivadas. A gratidão pode:

  1. Promover saúde emocional e física – Adquirindo essa última postura, aumentamos a nossa resiliência e potencializamos sentimentos positivos que têm o poder de gerar saúde para o corpo físico, bem como eliminar a ansiedade.
  2. Fortalecer relacionamentos profissionais – Quem é grato valoriza mais o que possui e não alimenta a ansiedade em torno daquilo que não tem e o sucesso de outros é visto como fonte de inspiração e motivação. Consequentemente pessoas gratas conseguem estabelecer, com muito mais facilidade, relações de mentoria, colaboração e cooperação.
  3. Melhorar o desempenho profissional – pessoas gratas conseguem se focar muito mais no processo do que no resultado e assim melhoram significativamente seu desempenho. Além disso, pessoas gratas tem um senso de equipe mais forte, conseguem reconhecer a importância dos colegas de trabalho e se tornarão melhores líderes.
  4. Impacto social positivo – pessoas gratas são mais generosas e tendem a contribuir mais para o bem comum e para a sociedade em que vivem.

Talvez o mais poderoso benefício da gratidão é eliminar os vestígios do fracasso e da derrota na psique humana. Ela cria uma perspectiva correta para lidar com momentos desafiadores e nos dá uma visão mais ampla da circunstância difícil.

Gratidão vs. Ingratidão: como cultivar o espírito da gratidão nas horas difíceis?

Precisamos aprender que a gratidão deve ser cultivada para ser expressa mesmo em situações incômodas e desfavoráveis, quando o mundo apresenta motivos suficientes para lamentarmos.

Você deve estar se perguntando, como é possível ser grato até em situações de doença, morte de entes queridos e momentos de traição, mágoa e sofrimento, não é mesmo?

Pode ser difícil, mas a gratidão deve estar presente nesses momentos. E ser grato nos momentos de dor (física e espiritual) não significa se alegrar pela tristeza, fracassos e tribulações, mas sim entender que esse é um momento passageiro e que irá moldar nosso caráter.

Por isso, não devemos dar graças somente quando tivermos a resolução de nossos problemas. Ao invés disso, devemos ser gratos por toda a circunstância. A gratidão fortalece a esperança.

Gratidão como estilo de vida: criando hábitos para cultivar e expressar gratidão

Eu trabalhei durante alguns meses com um jovem empreendedor que tem como filosofia de vida a gratidão. Sinceramente, eu não compreendia a calma, o bom humor e a forma serena que ele tem de lidar com os problemas e dificuldades da vida.

Ele é responsável por uma equipe de mais de 20 pessoas e tem que dividir seu tempo e atenção em cada área do negócio e encara isso com tamanha leveza que é de dar inveja.

E foi assim que eu fui apresentada à práticas de cultivo da gratidão e mindfulness. A influência dessas práticas na minha vida geraram um espantoso salto na minha qualidade de vida e no meu bem-estar de uma forma geral.

É claro que cultivar a gratidão em nosso coração não é uma coisa fácil e, eu ainda sou uma iniciante mas posso testemunhar os benefícios de tais práticas.

Gratidão é um sentimento que deve ser cultivado diariamente e propositalmente.

Nós temos oportunidades para sermos gratos todo o tempo, e esse sentimento brota naturalmente em determinadas circunstâncias mas também devemos cultivar hábitos que nos inspire e amplie nossa capacidade de sentir gratidão.

E, sim, de início, alguns dos seus agradecimentos vão soar bem forçados, mas com o tempo sua sensibilidade para coisas boas vai aumentar, você se tornará uma pessoa mais positiva, sua ansiedade vai diminuir e você vai começar a viver no presente.

Uma mente ansiosa é aquela que vive no passado – lembrando e se torturando por coisas que já se foram – ou vive no futuro com medo do que virá.

A atividade de cultivar a gratidão é um tipo de prática que promove a mindfulness, ou seja, força a mente a estar no momento presente e, portanto, diminui a ansiedade ‘se praticado com regularidade’.

Pronto para tentar algumas práticas para cultivar a gratidão? Então, baixe o nosso diário de gratidão e comece já!

 Abraços,

Beatriz Rustiguel

Diário de Gratidão
Baixe o diário e comece a cultivar o hábito da gratidão agora mesmo.
Beatriz Rustiguel da Silva

Beatriz Rustiguel é formada em comunicação social, especialista em Métodos e Técnicas de ensino, certificada em Resiliência e Gestão de Estresse pela University of Washington - WashigtonX, e em Psicologia Positiva pela University of North Carolina at Chapel Hill.

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-color: #01b5aa;background-size: cover;background-position: top center;background-attachment: initial;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 250px;}