Autoengano: porque e como nós mentimos para nós mesmos

[Curso] Resiliente: um coração inabalável
Este curso te capacitará com habilidades para o gerenciamento do estresse e fortalecimento das emoções.

Um dos maiores obstáculos do autoconhecimento e consequentemente de uma vida livre é o autoengano, ou seja, a tendência que nosso cérebro tem de mentir para nós.

Nós mentimos para nós mesmo por uma razão bastante compreensível: nós queremos evitar dor e sofrimento, mas fazendo isso, nós prejudicamos seriamente nossas chances de felicidade.

O que é autoengano

O autoengano é umprocesso inconsciente de autodefesa. Esse tipo de reação surgi para diluir o medo e a ansiedade que surgem quando há um conflito entre a pessoa que quem nós pensamos ser e a pessoa que nós queremos ser.

Por exemplo, em um nível inconsciente, um homem pode se sentir atraído por outro homem, mas, em um nível consciente, ele pode achar essa atração totalmente inaceitável. Para evitar a ansiedade que surge deste conflito, ele pode implantar uma ou várias defesas. Por exemplo, (1) ele pode se recusar a admitir para si mesmo que ele se sente atraído por esse homem. Ou (2) ele pode adoptar comportamentos que são diametralmente opostos aos de um homossexual para afirmar sua heterosexualidade. Etc… Em cada caso, o homem incoscientemnete usou uma defesa automática, o autoengano.

Para a pessoa que convive com circunstâncias que lhe fazer acreditar que a homosexualidade é errado, seria doloroso encarar a realidade da sua própria orientação, por isso, o inconsciente dele reage com o autoengado.

Sobre o que nós mentimos

Além de problemas com a autoimagem, o que mais pode disparar um processo de autoengano? Existem pelo menos quatro coisas que nos fazem mentir frequentemente para nós mesmos:

– Coisas que nós precisamos mudar na nossa vida;

– Coisas que podem atrapalhar a nossa autoimagem;

– Coisas que nós queremos muito, mas não podemos ter;

– Coisas que nos deixam irritados nos outros, mas que nós não ousamos expressar.

5 formas como nós mentimos para nós mesmos

Eis algumas das manobras que nós usamos para enganar a nós mesmos:

Vício

Nós identificamos algo poderoso o suficiente para manter nossos pensamos ocupados e longe dos confrontos problemáticos que nos perseguem.

Na maioria das vezes nós nem gostamos tanto daquilo que nos distrai; nós nos apegamos apenas porque aquilo mantém nossas mentes longe dos nossos medos.

Alegria maníaca

Uma tristeza que nós não conseguimos admitir para nós mesmos é muitas vezes disfarçada com doses exageradas de falsa alegria.

Muitos se dedicam a estar constantemente em festas e eventos sociais regados à álcool e cercado de “amigos” e demonstrando comportamento exuberante nas redes sociais.

Não se trata necessariamente de que são infelizes, mas que são incapazes de se permitirem sentir qualquer dose mínima de tristeza, no caso de acabarem se sentido completamente oprimidos por sentimentos negativos.

Desprezo

Nós dizemos a nós mesmos que simplesmente não temos interesse em algo – não porque isso seja verdade, mas para compensar o fato de que não podemos ter aquilo que desejamos de verdade.

Censura

Nós comumente censuramos e desaprovamos certas pessoas ou comportamentos para nos defender da noção de que parte de nós de fato gosta ou aprecia o comportamento que condenamos.

Quando nossos sentimentos ficam confusos, nós atacamos o sentimento que identificamos nos outros.

Atitude defensiva

Nos sentir ofendidos consome toda a nossa atenção. Então quando nos estamos na defensiva, nós não precisamos mais prestar atenção na informação que pode ser ou não ser correta, mas desafiante para nós e para nossas crenças.

O problema em mentir para nós mesmos é que nós perdemos oportunidades essenciais para crescimento.

As coisas que nós negamos são dolorosas, mas geralmente também contém elementos cruciais para o nosso desenvolvimento.

Se nós conseguirmos encarar nossas verdades, vontades e necessidades, nós aprenderemos a navegar mais livremente nas nossas mentes e nossa honestidade nos faria mais criativos, interessantes e agradáveis.

Como evitar o autoengano e ser verdadeiro consigo mesmo

Identifique seu propósito de vida, valores e objetivos – Defina metas e objetivos de vida que o movam com base em seus valores maiores.

Esteja ciente de sua forma de pensar – Avalie seus pensamentos quando você acorda de manhã e durante o dia. Desenvolva a sua mindset. Seja o seu melhor treinador, e não o seu pior crítico.

Obtenha ajuda – você pode encontrar ajuda profissional como um terapeuta, mentor ou coach, para superar o auto-engano e lhe ensinar como ser fiel a si mesmo.

[Curso] Resiliente: um coração inabalável
Este curso te capacitará com habilidades para o gerenciamento do estresse e fortalecimento das emoções.
Beatriz Rustiguel da Silva

Beatriz Rustiguel, comunicadora, professora universitária, especialista em Resiliência e Gestão de Estresse pela University of Washington (UWashingtonX), colaboradora do projeto ProLÍDER da Universidade Santa Cecília, colunista no site ‘Eu sem fronteira’, consultora de comunicação para o Banco Interamericano de Desenvolvimento e fundadora do projeto Mentalidade de Crescimento.

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-color: #01b5aa;background-size: cover;background-position: top center;background-attachment: initial;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 250px;}